Transporte coletivo volta a operar em Florianópolis

Após mais de 90 dias paralisado, o transporte coletivo municipal de Florianópolis voltou a circular nesta quarta-feira, dia 17 de junho de 2020, com uma série de medidas que eu já contei em outro post.

Durante toda a manhã desta quarta-feira, eu escutei a programação da rádio CBN Diário e abaixo eu fiz um resumo das informações sobre o retorno do transporte coletivo.

Repórteres da emissora estiveram nos terminais de Integração do Centro e da Lagoa, contando sobre a movimentação, além disso, o prefeito Gean Loureiro, o secretário de Mobilidade e Planejamento Urbano, Michel Mittmann e o comandante da Guarda Municipal, foram entrevistados para falar a respeito da volta do transporte.

Terminal de Integração do Centro

O repórter Kadu Reis esteve no Ticen (Terminal de Integração do Centro), o mais movimentado da capital catarinense, ele contou no início do programa Notícia na Manhã, por volta das 9h15, como estava a movimentação por lá.

Pelo período em que ele permaneceu no terminal entre 7h e 9h, de todas as partidas e chegadas, em nenhuma delas foi observada lotação nos ônibus, lembrando que os ônibus só podem rodar com lotação máxima de 40%.

Foi determinado que quando houver a lotação máxima de 40% nos ônibus, os motoristas devem passar reto nos pontos de parada, entretanto para suprir a necessidade, ônibus extras ficarão espalhados pela cidade, nos diferentes terminais, para atender os passageiros.

Os passageiros estavam usando máscara de proteção no interior do terminal, o que é obrigatório também dentro dos ônibus e nos pontos de parada. Dentro do terminal, os passageiros respeitavam o distanciamento social de pelo menos 1,5 metro, tanto que no chão há marcações para respeitar essa regra.

Quando o Kadu chegou no terminal havia falta de detergente e álcool em gel em alguns dispensers e totens, mas logo depois os materiais foram repostos.

Outra coisa que ele observou foi que os cobradores estavam fazendo a higienização dentro dos ônibus, ao final de cada viagem, em todos os pontos que os passageiros precisam tocar com a mão, como barras e portas.

Os bancos de espera dentro do Terminal de Integração do Centro foram removidos para evitar que as pessoas se aglomerem. As lanchonetes também estavam fechadas, já que foi proibida a alimentação fora e dentro dos ônibus, para evitar que os passageiros baixem as máscaras.

Lembrando que nesse primeiro momento está proibido pagar a tarifa dentro do ônibus com dinheiro, os passageiros devem usar o Cartão Cidadão, quem ainda não tem pode comprá-lo nos terminais ou pedir via delivery no site do Consórcio Fênix.

Fora das plataformas, havia filas para comprar o Cartão Cidadão nos guichês do terminal, por volta das 9h30 havia 10 pessoas na fila, mas todas elas estavam respeitando o distanciamento social, mas logo depois as filas diminuíram.

Terminal de Integração da Lagoa

A repórter Juliana Gomes esteve no Tilag (Terminal de Integração da Lagoa) e ela informou que no período da manhã, a linha de ônibus com mais procura pelos passageiros foi a 330 Tilag – Ticen e o ônibus que mais teve lotação foi de no máximo 20 passageiros.

Os dispensers espalhados pelo terminal estavam sendo reabastecidos com sabão e álcool em gel.

A Juliana conversou com alguns motoristas, que disseram que um pouco antes das 6h nos bairros teve uma movimentação maior de passageiros, mas que foi dentro da expectativa, com a lotação máxima de 20 a 25 passageiros dentro dos coletivos.

Gean Loureiro

No programa Notícia na Manhã, o prefeito Gean Loureiro foi entrevistado pelo âncora Mário Motta, ele disse que até por volta das 9h, 2.340 passageiros fizeram o check-in voluntário nos ônibus, o que seria esse check-in? Ele serve para identificar, contatar e monitorar a saúde de todos os passageiros que possam ter tido contato com algum caso positivo para a Covid-19 no ônibus em determinada linha, horário e veículo.

O prefeito disse que no início da manhã, foi chamada a atenção de duas pessoas, por não estarem usando a máscara de proteção. Nos terminais, foi observado que as pessoas estavam respeitando o distanciamento e teve um caso em que foi detectado um ônibus com lotação máxima acima de 40% no Tican (Terminal de Integração de Canasvieiras), mas logo em seguida foi disponibilizado um outro ônibus para redistribuir os passageiros, para o primeiro partir com a lotação máxima correta.

Segundo Gean Loureiro, a avaliação nesta manhã foi positiva, foi um movimento abaixo do normal, somente por volta das 8h é que houve um leve aumento na movimentação de passageiros, devido ao horário diferenciado do comércio e ao menos nas próximas três semanas o transporte coletivo ficará em constante avaliação.

Como no interior dos ônibus têm câmeras, a Prefeitura de Florianópolis consegue monitorá-las e quando for observado algum passageiro não usando a máscara ou sentado distante da janela, o cobrador será acionado imediatamente para orientar o passageiro.

Antes de o motorista e cobrador começarem a trabalhar, é feita neles a aferição de temperatura e caso for constatada alguma normalidade ele já é afastado. No final da semana passada, todos os trabalhadores fizeram o teste para a Covid-19.

Na entrevista, o prefeito foi questionado porque a temperatura dos passageiros não está sendo medida, ele respondeu que é para evitar aglomerações antes do embarque, mas que a gestão municipal estuda alguma nova tecnologia para fazer a aferição de temperatura dos passageiros.

Um ouvinte de 61 anos perguntou para o prefeito se ele poderia ir de ônibus até o Centro, se o embarque dele seria permitido, Gean Loureiro respondeu que não há proibição para os idosos viajarem, mas a recomendação é que eles fiquem em casa e só viajem em caso de extrema necessidade.

Michel Mittmann

O secretário de Mobilidade e Planejamento Urbano, Michel Mittmann, foi entrevistado pelo Kadu Reis, no programa Direto da Redação. Ele disse que até por volta das 11h25, cerca de 3.000 pessoas já haviam feito o check-in voluntário nos ônibus, utilizando o QR Code e reforçou que os passageiros devem sentar próximo às janelas.

Michel reforçou o que o prefeito já havia dito, quando é observado que um ônibus já atingiu a lotação máxima de 40% e mais passageiros querem entrar no ônibus, imediatamente ônibus extras são acionados logo em seguida.

Ele disse que as equipes de controle sanitário dos terminais e ônibus estão fazendo a reposição dos dispensers com detergente e álcool em gel, assim que acaba o material em algum, ele já é reposto, pode acontecer de faltar por alguns minutos, mas isso será aperfeiçoado.

Dentro do Ticen há marcações no chão para os passageiros respeitarem o distanciamento social, Michel disse que será feito um teste colocando essas marcações em alguns pontos de parada pela cidade para avaliação, na cidade há ao menos 1.800 pontos de parada.

Guarda Municipal

O comandante da Guarda Municipal, Ivan Couto, também foi entrevistado pelo Kadu Reis, ele disse que todo o efetivo da corporação está nas ruas para acompanhar a volta do transporte coletivo.

E ressaltou que o retorno dos ônibus na cidade está em período de testes, sendo que será observado o número de casos de Covid-19 e o comportamento da população.

Ao vivo

O Diário Catarinense têm um perfil no Twitter, o @aovivodc, nele foram postados diversos tuítes com a movimentação em tempo real da volta do transporte coletivo na cidade. Acompanhe abaixo:

Balanço

No final desta quarta-feira, o prefeito Gean Loureiro divulgou em suas redes sociais um balanço das primeiras 12 horas do retorno do transporte coletivo. Confira as informações na postagem feita abaixo em seu perfil no Instagram, para ver as imagens, arraste para o lado.

Considerações finais

E você já voltou a utilizar o transporte coletivo em Florianópolis? O que observou? Escreva abaixo o seu comentário.

Eduardo Paulino

Paulistano, aquariano e prestativo. É apaixonado pelos temas marketing digital, mobilidade urbana, recursos humanos e empreendedorismo. É o criador dos sites Mobilidade SampaMobilidade Curitiba, Mobilidade RioMobilidade Floripa e Mobilidade Porto Alegre. Quer entrar em contato com o Eduardo? Escreva para eduardo@grupopln.com.br.