Manifestação de motoboys fecha entrada da Ponte Pedro Ivo Campos

Na manhã desta quarta-feira, dia 23 de setembro de 2020, uma manifestação de motoboys causou muito congestionamento na Via Expressa (BR-282), no sentido Ilha e chegou a provocar o fechamento da entrada da Ponte Pedro Ivo Campos.

Na noite anterior, a Polícia Rodoviária Federal soube que estava marcada para a manhã desta quarta-feira uma manifestação de motoboys, que pretendia fechar a ponte. Em razão disso, a partir das 5h30, equipes da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e Guarda Municipal já estavam posicionadas na cabeceira da Ponte Pedro Ivo Campos fazendo uma operação com o objetivo de evitar o ato.

Ponte Pedro Ivo Campos
Foto: Reprodução/Videomonitoramento/Secretaria da Segurança Pública
Foto: Reprodução/Videomonitoramento/Secretaria da Segurança Pública

O inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Luiz Graziano, disse à rádio CBN Diário que inicialmente as equipes foram até a Havan de Palhoça, na BR-101, para conversar com os motoboys, que estavam concentrados para seguir rumo à Ilha.

Uma reunião foi feita com um grupo de motoboys para evitar a manifestação, alguns deles se dispersaram, mas outros se aglomeraram e se dirigiram para a Via Expressa, rumo à entrada da Ponte Pedro Ivo Campos.

Equipes da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e Guarda Municipal ficaram posicionadas na entrada da ponte e chegaram a fechá-la entre 8h30 e 9h. O fechamento foi feito para dispersar os motoboys e evitar que eles fossem para a ponte.

Por volta das 9h30, o tráfego estava muito congestionado na Via Expressa, no sentido Ilha, desde o quilômetro 4, na altura da Avenida Josué di Bernardi, até a entrada da ponte. Mais cedo, por volta das 8h20, as filas chegavam na alça de acesso de quem sai da BR-101, no sentido Sul.

Ver essa foto no Instagram

Fila na Via expressa sentido ilha, está na alça de quem sai da Br 101 sentido sul, #pista_limpa

Uma publicação compartilhada por pistalimpa (@pistalimpa) em

Foto: Reprodução/Videomonitoramento/Secretaria da Segurança Pública
Foto: Reprodução/Videomonitoramento/Secretaria da Segurança Pública

Por volta das 10h30, a operação das equipes foi finalizada e o tráfego já fluia um pouco melhor na Via Expressa, no sentido Ilha.

A intenção dos motoboys era chegar até o meio da ponte e colocar os bagageiros na pista para evitar a passagem dos demais veículos.

Motoboys e fiscalizações

Os motoboys reclamam que as fiscalizações da Polícia Rodoviária Federal estão cada vez mais ostensivas e que por conta disso o trabalho da categoria está sendo prejudicado.

O inspetor Luiz Graziano disse que desde março a Polícia Rodoviária Federal realiza a Operação Moto Vida na Grande Florianópolis para fiscalizar as motocicletas e orientar os motociclistas com o objetivo de evitar acidentes graves.

Cerca de 70% dos acidentes graves que ocorrem na Grande Florianópolis envolvem motocicletas, os trechos mais críticos são a BR-101, entre Biguaçu e Palhoça e a Via Expressa (BR-282).

A BR-101, no trecho da Grande Florianópolis, está entre os 22 trechos mais perigosos do Brasil, principalmente entre os quilômetros 200 e 210. No passado já foi considerado o trecho de rodovia mais perigoso do Brasil.

Com essas ações contínuas de fiscalizações e ações educativas realizadas desde março o número de acidentes caiu 43% na Grande Florianópolis.

Já foram cerca de 2.500 motocicletas fiscalizadas, cerca de 1.000 delas já foram multadas e pelo menos 100 delas não tinham condições alguma de seguirem trafegando. Entre as irregularidades detectadas, estão motociclistas sem Carteira Nacional de Habilitação ou com ela vencida e motocicletas sem o licenciamento.

Luiz Graziano reforçou que nessa Semana Nacional do Trânsito a fiscalização das motocicletas foi reforçada, já que o tema da campanha deste ano é a preservação da vida: “Perceba o risco, proteja a vida”.

Os motoboys reclamam que nas abordagens, a Polícia Rodoviária Federal pede para que eles levantem a jaqueta como se fossem criminosos.

“As pessoas que tiveram motocicletas retidas por irregularidades fizeram barulho, em nossas abordagens também verificamos se a pessoa não está armada, não é porque tem cara de vagabundo, isso é um procedimento normal. Muitos criminosos acabam utilizando a motocicleta pois ela é um rota de fuga muito fácil e muitos criminosos andam armados”, disse o inspetor.

Eduardo Paulino

Paulistano, aquariano e prestativo. É apaixonado pelos temas marketing digital, mobilidade urbana, recursos humanos e empreendedorismo. É o criador dos sites Mobilidade SampaMobilidade Curitiba, Mobilidade RioMobilidade Floripa e Mobilidade Porto Alegre. Quer entrar em contato com o Eduardo? Escreva para eduardo@grupopln.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.