Jaraguá do Sul supera capitais na malha de ciclofaixas

Jaraguá do Sul destaca-se no cenário nacional de mobilidade urbana ao superar diversas capitais brasileiras em termos de extensão da malha de ciclofaixas.

De acordo com a Secretaria de Planejamento e Urbanismo da Prefeitura, o município possui mais de 90 quilômetros de ciclofaixas.

Quando se incluem outras vias para bicicletas, como rotas, calçadas compartilhadas e calçadas partilhadas, a malha cicloviária totaliza 105 quilômetros.

Este sistema cicloviário coloca Jaraguá do Sul em uma posição privilegiada comparada a outras cidades do Brasil.

Dados da Associação Brasileira do Setor de Bicicletas (2023) mostram que a cidade possui uma malha cicloviária significativa para cada grupo de 100 mil habitantes, superando importantes capitais como Florianópolis, Curitiba, São Paulo e Belo Horizonte.

Jaraguá do Sul conta com 57,69 km de vias cicloviárias por 100 mil habitantes, enquanto Florianópolis possui 24,4 km, Curitiba 13,76 km, São Paulo 5,7 km e Belo Horizonte 4,6 km.

As vias cicloviárias de Jaraguá do Sul incluem:

  • Rota de bicicleta (ciclovia): Ciclofaixas separadas da faixa de veículos por tachões.
  • Calçada compartilhada: Locais onde é permitida a circulação de bicicletas na calçada.
  • Calçada partilhada: Faixa de pedestres compartilhada com ciclofaixa.

O secretário de Planejamento e Urbanismo, Gildo Martins de Andrade Filho, enfatiza a contínua expansão do sistema cicloviário.

Ele destaca que os investimentos realizados nos últimos anos visam à segurança viária e incentivam o uso de veículos não poluentes, favorecendo a micromobilidade.

O prefeito Jair Franzner reforça essa visão, ressaltando que os investimentos em ciclofaixas e rotas de bicicletas transcendem o lazer, tornando-se essenciais para um transporte barato, seguro e ecológico.

Ele afirma que a administração municipal continua a revitalizar e melhorar as vias existentes para bicicletas.

Entre as principais ruas já contempladas pelo sistema cicloviário de Jaraguá do Sul estão: Via Verde, Ciclovia do Trabalhador (recentemente revitalizada), Max Wilhelm, Benildo Zanin, Jorge Frederico Augusto Karsten, Waldemar Rau, Erwin Rux, Bertha Weege, Walter Marquardt, João Planincheck, Bernardo Grubba, Amandus Rengel, Helmuth Manske, Augusto Schwarz, Maria Umbelina da Silva, Ricardo Grimm na Vila Lenzi (por conta do binário), Bertha Weege e Pastor Albert Schneider (devido à implantação da rotatória de quadra).

Deixe um comentário